Rss Feed
  1. Hoje a noite não tem luar, e eu estou sem ela...

    terça-feira, 21 de abril de 2015

    grandma

    .... Já não sei onde procurar, não sei onde ela está ♫

    Essas coisas acontecem na vida da gente com mais frequência que gostaríamos... Perder pessoas deveria ser proibido, e no entanto não é, mais que permitido, é natural. Assim acontece com todos e incrivelmente a todo momento. Alguns precisam morrer para que outros nasçam, é a lei da vida, é o ciclo do universo, tudo que nasce tende a morrer, demore o tempo que for, nada é para sempre. O eterno não existe!

    Mas aí que tá, dói. E dói como se não existisse amanhã. Dói porque  existe sentimento por trás de toda relação humana, é igualmente natural que exista dor e sofrimento, que venham lágrimas e que o grito queira sair por todos os ângulos possíveis. Mas pela conveniência muitas vezes, somos obrigados a manter a pose, temos que sorrir, e quando alguém chega e lhe diz "Meus sentimentos" você tem que sorrir e dizer "Obrigada", quando alguém diz " Ela não está mais sofrendo agora", você tem que sorrir novamente e concordar com a cabeça, porque se for falar, não vai aguentar, vai embargar, vai dar tremedeira, as lágrimas saem primeiro que as ondas sonoras da sua garganta, e não há nada que se possa fazer para impedir, por isso você só diz que sim com a cabeça, só isso e continua andando.

    Acredito que esse seja o pior, ter de lidar com a verdade, o fato de que a pessoa da qual as pessoas estão falando naquele cubículo, a mesma que está dentro daquela caixa decorada toda elegante e pálida, não está mais viva. Ela simplesmente se foi, assim como nasce um dia, sem muita explicação, sem muitos por quês, ela para de respirar, coração para de bater e nada mais resta. E você tem que aceitar, ser bom filho, neto, amigo, o que for, e acenar com a cabeça.

    Sim, ela parou de sofrer, a vida dela não é mais alimentada por máquinas, não está mais em um processo de falecimento, ela já se foi. Se está melhor? Sinceramente não tenho muito o que dizer sobre isso, vai do que cada um acredita, não é mesmo? Eu bem penso que se existe essa tal de "vida pós morte", ela deve estar junto com seu esposo e celebrando a melhor fase de sua vida, deve estar lá comendo seu arroz com feijão, batata e laranja, e por que não? Quem disse que no céu não se pode comer ? Ela deve (se for possível) estar lendo algo bonito e cuidando de plantinhas, rindo e assistindo os anjos brincarem. Espero que esteja..

    Hoje completam 7 dias que ela se foi, ela não vai mais sorrir ou passar o lenço na boca, ou  vai parar pra falar comigo de "A Usurpadora", ou me chamar de todos os nomes possíveis e só por último o meu. Ela não vai mais ligar 9h o rádio toda manhã e escutar o Padre Marcelo falando, nem colocar a água pra benzer, Ela não vai fazer aquela comida que só ela sabe,,, Não, a comida não tem mais o mesmo sabor, nem eu sou a mesma. A gente tende a amadurecer com esse tipo de coisa.

    Eu sei que apesar de tê-la visto em uma forma que não gostaria nunca, e apesar de ter visto colocarem-na abaixo de terra, eu ainda não acredito que a minha avó, isso, minha avozinha, a mesma da história anterior, tenha partido. É doloroso demais pensar, não caiu a ficha, e vai demorar a cair. Estou realmente tentando ser forte e demonstrar isso a todo mundo, mas tá complicado, toda vez que ela vem no pensamento (e são muitas) o coração acelera e a respiração fica rarefeita. Mas a gente dá um jeito certo? Segura do jeito que dá, chora escondido e sorri para os estranhos e familiares.

    Porém o amor nunca mudará, estará sempre em minha memória e coração, não importa onde ela esteja, estará sempre comigo aqui dentro ♥

    A gente aceita, ou finge que aceita... O tempo faz isso, E enquanto ele não passa, como dizia John Green.. "A dor precisa ser sentida".

    Reações: 
    |
    | |


  2. 2 comentários:

    1. Natalia M disse...

      Ah que texto lindo, me fez relembrar tanta coisa! Só quem perde alguém especial, sabe pelo menos um pouco a dorzinha no peito de quem está passando por isso. Mas é inevitável, são coisas do tempo, e nós, só estamos fadados a compartilhar nossa insignificância frente ao universo com alguém, até que seja possível. Muitos tentam, e ouvi muitas coisas, mas simplesmente não á o que dizer, porque no fim, sejamos sinceros, não queríamos palavras amigas, só queríamos que a situação mudasse, queríamos alguém que viesse e desfizesse tudo o que aconteceu, e sim, na nossa dor recente, realmente temos a esperança como se isso fosse possível. Belo texto, e fique bem <3
      Desfocando Ideias

    2. Obrigada Na!
      Lembro-me de ter lido no seu blog sobre sua dor, e te ofereço também meus sentimentos! E pois é, a vida não é fácil e quando as pessoas que mais amamos se vão é difícil de acreditar, depois que minha avó se foi aprendi de verdade que não se deve esperar para amar alguém no mais fundo que você conseguir, a vida passa com o piscar de olhos e o que fica de verdade é o que acontece entre um movimento e outro, quem você conhece e enriquece sua vida. Obrigada pelo comentário, e obrigada por seu sentimento ♥

    Postar um comentário